Crônicas

Faz um ano que comecei a pintar

IMG_9161

 ALERTA DE ARTE FEIA C/ REFLEXÃO ✨
Faz um ano que comecei a pintar.
Tenho ZERO técnica 😅

Já pintei quadros pequenos, alguns horrorosos, mas alguns até bem legais, considerando a minha total falta de conhecimento.

Fazia uns meses que eu não pintava, 
nem mesmo durante as minhas pausas. 

Me comprometi a pintar pelo menos um quadrinho até o final destas mini-férias. 

Na noite de sábado, aos 45 do 2º tempo, cumpri. 

Fiz 2 quadros pequenos que ficaram até bons, e me empolguei.

No domingo, quis pintar mais –
e foi quando saiu isso que você vê aí na foto.

Um grandissíssimo caos.
Uma zoeira.
Nenhuma evocação mais profunda, nenhuma alegoria.

Péssimo em concepção,
pior ainda em execução.

Mas enquanto eu estava pintando,
eu me sentia bem.

Não me senti tão diferente dos primeiros.

Mas o resultado final ficou, convenhamos, uma bosta. 😂

Isso acontece com a pintura, com a escrita, com um monte de coisas que eu faço.

Eu começo a fazer, pego gosto, e o resultado sai até melhor do que eu esperava. 

Daí eu faço de novo, mas algo não sai como eu imaginava (já que agora minha expectativa foi pro teto).

A compreensão das nossas expectativas é uma das coisas que mais nos afeta emocionalmente. 

Entre o que a gente espera e o que se realiza no mundo existe, SEMPRE, um espaço. 

Se a gente foca todas as nossas energias nesse espaço, o tesão do fazer e a alegria da realização vão embora. 

E essa pintura horrenda aí me lembrou que o que importa, de verdade, 
não é o resultado final.

Não é se vai fazer sentido pra mim, pra você ou pro outro.
É o processo.

É o dispor os materiais em um canto da sala.
Sentar no chão.
Colocar uma música.
Repousar o pincel sobre a tela.
Misturar uma cor com a outra.
Deixar a tinta decidir pra onde vai.

Intuir que outra cor vai bem com essa sem se importar muito com o motivo.
Desligar do que tem lá fora e religar com o que tem aqui dentro.

Sentir as mãos em movimento.
Entrar em um estado diferente da distração da realidade nossa de cada dia.

O processo é o que importa de verdade.
O caminho.
O percurso.
O passo.

Volto da folga renovada,
pronta pra muito mais.

E reconectada com o que importa de verdade.

Com amor,
Carol Milters 💛

Carol Milters

Carol Milters

Escritora & Investigadora da Saúde Mental no Trabalho | Síndrome de Burnout & Workaholismo

Autora do livro "Minhas Páginas Matinais: Crônicas da Síndrome de Burnout", idealizadora da 1ª Semana Mundial de Conscientização da Burnout e do grupo de apoio online Burnoutados Anônimos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO E CONTINUE A CONVERSA

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Artigos e dicas sobre saúde mental no trabalho, síndrome de Burnout, workaholismo e escrita terapêutica no seu e-mail:

Mais crônicas

Perfeição não existe

Em abril de 2021, o Fernando Barros @nandocom entrou em contato comigo pra noticiar o Burnoutados Anônimos, o grupo de apoio online que eu havia fundado alguns

Continue lendo »

Artigo em destaque

0
O que achou deste texto? Me conta nos comentários 💛 x