fbpx

Observações de diversas naturezas, profundidades e extensões.
Diretamente daqui de dentro, pra chegar aí dentro 💛

Cuidado com quem te ilude com uma vida impecável de mais

A vida REAL é caótica,
aleatória,
pulsante.

Ela é cheia de defeitos,
de desencontros,
de desastres grandes e pequenos.

A nossa caminhada por esse mundo é,
INVARIAVELMENTE,
uma comédia de erros.
Um festival de cagadas.

É só de vez em quando que a gente acerta.

Nós,
humanos,
somos TODOS inseguros.
TODOS carentes.

TODO MUNDO tem uns medos absurdos,
uns segredos cabulosos,
uns arrependimentos amargos.

É DA VIDA.
Enfrentar os dias chuvosos,
conviver com as nossas sombras
-e as dos outros,
contemplar a nossa IMENSA ignorância
– é JUSTAMENTE o que faz valer a pena.

E é por isso que eu me incomodo,
profundamente,
com quem lucra criando na gente a sensação de que somos um bando de bostas.

É por isso que eu tenho, SIM,
raiva de quem posa como se já tivesse todas as respostas.

É por isso que eu tenho os DOIS pés atrás
com quem te vende a ilusão
de que existe uma vida muito melhor do que a sua,
uma casa muito melhor do que a sua,
um salário muito melhor do que o seu,
e que você só não tem porque é um trouxa.

Trouxas são essas pessoas.

Que enganam, acima de tudo, a si mesmas.
Que alimentam uma fantasia inconcretizável.
Que criam um personagem pro mundo e choram sozinhas em casa.
Que vendem uma mentira pra você, que só queria se sentir um pouco melhor.

Pelo bem da sua saúde mental:
não se iluda.
Abra os olhos.

A vida é uma videocassetada do começo ao fim.
E ESSA é a graça.

Com muito amor e todos os defeitos do mundo,
Carol Miltersteiner 💛

Carol Milters
Carol Milters

Escritora, Investigadora & Facilitadora
Saúde Mental no Trabalho, Síndrome de Burnout, Workaholismo & Escrita Reflexiva


Autora dos livros, "Minhas Páginas Matinais: Crônicas da Síndrome de Burnout" e Um Passo Por Dia: Meditações para (re)começar, sempre que preciso idealizadora da Semana Mundial de Conscientização da Burnout e do grupo de apoio online Burnoutados Anônimos.

Deixe seu comentário e continue a conversa:

Deixe um comentário

Mais crônicas