Crônicas

Eu espero que você não precise adoecer pra ir atrás das suas respostas

Arquivo_002 (1)

Eu espero que você não precise adoecer pra descobrir (e aceitar) o que você realmente quer pra sua vida.

Eu espero que você não precise adoecer pra ter um motivo pra não ir aonde não quer, não fazer o que não gosta, não conviver com quem não te faz bem.

Eu espero que você não precise adoecer pra aceitar ajuda, seja ela emocional, prática ou financeira.

Eu espero que você não precise adoecer pra entender que quem te ama, te ama por tanto mais do que a conquista mais foda que você já conseguiu.

Quem te ama, vai te amar quando você não puder subir no salto, arrasar, ganhar o mundo.

Quem te ama, vai te amar quando você descobrir que talvez não seja exatamente aquilo que pensou ser antes.
Quem te ama, vai celebrar cada mudança, vai impulsionar cada decisão corajosa, vai te lembrar que o teu valor é inabalável e intransferível.

Eu espero que você não precise adoecer pra se permitir descansar, se divertir.
Eu espero que você não precise adoecer pra desenvolver a atenção na maravilhosidade do aqui e agora. Pra amar a si [email protected], do jeitinho que é, com as potências e as estranhezas que só você tem. Pra ser quem você é de verdade, [email protected], sem tirar nem por.

Porém… Se acontecer de você precisar adoecer, fica aqui a minha empatia, o meu abraço, o meu “é, sei como é”. Eu gostaria muito de te dizer que a partir de um ponto na vida, aprendendo isso, aquilo, e aquilo outro, a gente se torna imune. Que certas dores não irão se repetir.

Mas a vida é caótica, imprevisível, e nós também somos. Então, o que eu posso desejar, pra mim e pra você, é que a gente consiga se reerguer com mais e mais facilidade a cada vez.

Que a gente passe a aprender também com as sutilezas, e não só com as porradas da vida.

E que a gente aprenda, de uma vez por todas, que a gente vale – e muito, e que essa vida louca é linda. 💛
Carol Milter

Carol Milters

Carol Milters

Escritora & Investigadora da Saúde Mental no Trabalho | Síndrome de Burnout & Workaholismo

Autora do livro "Minhas Páginas Matinais: Crônicas da Síndrome de Burnout", idealizadora da 1ª Semana Mundial de Conscientização da Burnout e do grupo de apoio online Burnoutados Anônimos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO E CONTINUE A CONVERSA

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

[…] descobri o maravilhoso mundo das hashtags. No domingo seguinte, pela manhã, eu acordei inspirada e escrevi um texto. Usei as técnicas de hashtags aprendidas no curso pra que ele chegasse em mais […]

Artigos e dicas sobre saúde mental no trabalho, síndrome de Burnout, workaholismo e escrita terapêutica no seu e-mail:

Mais crônicas

Perfeição não existe

Em abril de 2021, o Fernando Barros @nandocom entrou em contato comigo pra noticiar o Burnoutados Anônimos, o grupo de apoio online que eu havia fundado alguns

Continue lendo »

Artigo em destaque

1
0
O que achou deste texto? Me conta nos comentários 💛 x