IMG_2079

Não sinta vergonha, nem culpa!

Que tempos, @.
Parece que tá tudo acontecendo ao mesmo tempo.

É tanto incêndio pra apagar,
tanta injustiça pra reivindicar,
tanta notícia pra se atualizar,
tanta luta pra se engajar,
tanto trabalho pra se sustentar,
tanta louça pra lavar.

Não temos equipamento mental ou emocional pra lidar com o que está acontecendo.
Ninguém tem.

A verdade é que estamos exaustos,
deprimidos,
ansiosos.

Por isso, se você sentir que precisar para um pouco,
pare.

Se dê uma trégua.
Se dê uma folga.

Que seja uma manhã pra ficar na cama até mais tarde,
um dia pra ficar sem ver notícia,
algumas horas com as redes sociais bloqueadas.

A gente precisa de você no seu melhor.
Precisa que você esteja com brilho nos olhos pra ir atrás do que importa de verdade.
Precisa que você esteja com a cabeça boa pra bolar soluções,
pra encontrar saídas.

A gente precisa exercitar a compaixão,
por nós mesmos,
e pelo outro.

Se estiver cansadx,
descanse.

Se ver alguém próximo de você cansadx,
diga a essa pessoa:
“Olha só,
quem sabe você dá uma paradinha?
Eu seguro as pontas pra você hoje.
Vai lá esticar as pernas um pouco.” Ninguém é máquina.
Todos temos um limite de coisas pra realizar.

Se cuide bem.

A gente precisa que você esteja bem,
pra que você possa nos ajudar a fazer o mundo ficar um pouquinho melhor.

Com amor,
Carol Miltersteiner 💛
**
(Se você gostou desse post, tem mais no meu perfil.
Me siga @carolmilters para textos e reflexões sobre a minha história com a #síndromedeburnout e o que ela tem me ensinado sobre o trabalho e sobre o mundo.
Obrigada por me ler 😊)

<b>CAROL</b> MILTERS

CAROL MILTERS

Escritora & Investigadora da Saúde Mental no Trabalho | Síndrome de Burnout & Workaholismo

DEIXE SEU COMENTÁRIO E CONTINUE A CONVERSA

0 0 votes
Avaliação deste texto
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Artigos e dicas sobre saúde mental no trabalho, síndrome de Burnout, workaholismo e escrita terapêutica no seu e-mail:

MAIS DROPS

Escrita que cura

E eis que, num domingo parcialmente nublado, eu me vejo bebendo quentão (gluwijn) às 11h30 da manhã, brindando a conquista mais surpreendente da minha vida

Continue lendo »

Temor aos dias ruins

Voltando à vida devagarinho, depois de uns dias no casulo.Dias de cansaço.Dias de mal sair da cama.Eu sempre detestei esses dias. Me sentia inútil.Me sentia

Continue lendo »
0
O que achou deste texto? Me conta nos comentários 💛 x
()
x