Crônicas

Great Place To Work. Será?

Arquivo_002 (2)

Há 30 anos, existe um instituto que certifica e premia empresas em mais de 60 países.

Ele foi fundado pelo jornalista Robert Levering – nos anos 80, ele queria escrever um livro sobre as “100 PIORES empresas para se trabalhar”, mas foi convencido a perseguir o caminho oposto.

E foi assim que ele passou a investigar o que tornava uma empresa boa para se trabalhar.

De acordo com o próprio Robert,
um “great place to work” é:

“um lugar onde os colaboradores CONFIAM nas pessoas para quem trabalham,
tem ORGULHO do que fazem
e GOSTAM das pessoas com quem trabalham.”

Por algum motivo, no entanto, a intenção (louvável) do instituto e a realidade não necessariamente se encontram.

E a minha experiência, somada a de tantas outras que já adoeceram enquanto trabalhavam em um lugar com tal certificado é, no mínimo, curiosa.

Não quero aqui questionar a organização e seu trabalho que, me parece, é feito da melhor forma possível.

Quero fazer um checagem de realidade: como fazer com que a qualidade das relações interpessoais não vire um troféu e sim uma condição básica?

Como conscientizar organizações de todos os tamanhos que a CONFIANÇA ainda é o aspecto mais fundamental na manutenção de um negócio que conta com pessoas?

Fiz uma Live sobre o assunto. Está lá no meu IGTV.

O meu objetivo não é expor indivíduos, gestores ou organizações.

É ampliar a conscientização da dimensão sistêmica de posturas antiéticas, da perpetuação do desrespeito ao indivíduo e da glorificação de um jeito de trabalhar que todo mundo JÁ sabe que não faz o menor sentido.

É urgente uma mudança na forma como enxergamos e realizamos o trabalho.

É só por meio da conscientização e da educação que a gente vai ser capaz de mudar alguma coisa.

Com amor,
Carol Milters 💛

Carol Milters

Carol Milters

Escritora & Investigadora da Saúde Mental no Trabalho | Síndrome de Burnout & Workaholismo

Autora do livro "Minhas Páginas Matinais: Crônicas da Síndrome de Burnout", idealizadora da 1ª Semana Mundial de Conscientização da Burnout e do grupo de apoio online Burnoutados Anônimos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO E CONTINUE A CONVERSA

0 0 votes
Avaliação deste texto
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Artigos e dicas sobre saúde mental no trabalho, síndrome de Burnout, workaholismo e escrita terapêutica no seu e-mail:

Mais crônicas

Nunca foi sorte

 A sorte e o inesperado são inegáveis.Chame isso de universo, de aleatoriedade, de Deus, de destino, mas entenda que não tá tudo na nossa mão.

Continue lendo »

Artigo em destaque

Eu vou sair do Instagram, por Carol Milters

Eu vou embora do Instagram.

Tem gente que paga pra aparecer pra você. Tem gente que polemiza pra aparecer pra você.

Tem gente que usa a religião, a ostentação ou o culto ao “corpo perfeito” pra aparecer pra você.
E, na boa, eu tô cansada disso tudo.

Leia mais »
0
O que achou deste texto? Me conta nos comentários 💛 x
()
x